quinta-feira, maio 05, 2011

Doulas

Eu queria que meu parto fosse perfeito, sempre acreditei que este é um momento muito importante, grandioso e incrível na vida da mulher, é a chegada de um ser humano ao mundo, a máxima da vida acontecendo e nós mulheres somos a agente desse processo.
Em minha primeira pesquisa na internet achei o GAMA e também um site falando sobre Doulas.

Não conhecia esse trabalho de Doulas, fiquei encantada e mesmo antes de engravidar estava decidido que teria uma doula em meu parto.
Depois de conhecer o Gama e conversar com a Ana Cris engravidei, estava segura para ter a gestação e parto que idealizava.
Minha doula foi a própria Ana Cris, chique né?
Meu parto foi domiciliar e tudo se desenvolveu como sonhei, perfeito.
Talvez a Ana se lembre que sofri bastante, chorei, reclamei mas como sempre digo de nada me arrependo e tenho certeza de que não podereia ter sido melhor.
Esse trabalho de doula é muito lindo, tão feminino, tão necessário. Emocionante até!
A relação com a doula durante o trabalho de parto chega a se simbiótica, a doula está para a parturiente, sabe o que fazer, conhece todo o processo, sabe o que a mulher sente.
Ela ajuda e auxilia como ninguém.
E também ao marido, a outros filhos e mãe, sogra, quem estiver.
Queria ser escritora, poeta pra dizer o que sinto em relação as doulas de forma ampla e linda pois merece!
Aqui listo uma relação de doulas (Em ordem alfabética) para orientar quem procura por estas mãozinhas mágicas e amigas no momento do parto.
Grande beijo
Déborah Gérbera



Doulas

Adriana Natrielli
Doula e pesquisadora em Filosofia (doutoranda -USP)
Nasci em 1975 e sou mãe do Fábio nascido em 2007 e da Gabriela nascida em 2009.

Tive duas experiências de gravidez saudáveis e harmoniosas, embora em meu primeiro parto tenha sido por cesárea, a qual talvez  pudesse ter sido evitada, já que, não se tratando de nenhuma emergência, não se esperou mais pela dilatação. Isso me deixou extremamente frustrada e me levou a estudar com muito afinco assuntos relativos à gravidez, parto e puerpério. Assim, em minha segunda gestação, buscando uma assistência mais favorável ao parto natural, pude ter minha filha em casa, sem absolutamente nenhuma intervenção desnecessária. Foi uma experiência tão maravilhosa (inclusive pelo fato de meu marido e meu filho de dois anos estarem presentes) que resolvi com mais determinação ainda encorajar outras mulheres a sentirem a mesma realização que eu.  
Estar informada e contar com o apoio permanente de uma doula foi indispensável e determinante para a boa experiência que tive e vivo neste momento. Foi isso que me levou a formar-me como doula para poder apoiar outras mulheres, sabendo o quanto é importante ter ao nosso lado alguém que já tenha passado pelo processo e que nos tranquilize e dê segurança quanto à evolução natural do parto.
Acredito na força inata que cada mulher tem para passar pela experiência única que é o parto e acredito que um parto feliz e ativo não gera apenas bebes saudáveis, gera mães felizes e confiantes, garante um vínculo mais intenso entre mãe e filho e mulheres mais fortes e poderosas ao longo das suas vidas.
Espero que cada mulher veja em mim uma amiga a quem é dada a honra de partilhar esta fase tão bonita, intensa e transformadora.
Região atendida: São Paulo e região ABC
Tel.: (11) 7027-6231 (11) 7667-8608
Drika Cerqueira
Formada pelo GAMA em 2004 e pela ANDO em 2008, participou de cursos de extensão pela Unicamp, Cruz Vermelha e outras instituições reconhecidas. Atuou como doula voluntária no Amparo Maternal por um ano e hoje atua como doula particular.
Tornou-se Educadora Perinatal em 2005 e desde então faz a preparação para o parto de gestantes e casais.
Os atendimentos são personalizados e individuais e direcionados para a preparação emocional, física e informacional.
drika.cerqueira.doula@gmail.com
Tel: (11) 3791-1211 / 8911-6804
Blog: http://douladrikacerqueira.blogspot.com
Facebook: www.facebook.com.br/drika.cerqueira.doula
Twitter: @drikacerqueira



Fabiolla Duarte
36 anos, um lindo filho Hari, 1 ano, nascido em casa com equipe maravilhosa (com Natália Rea doula) e uma filha Maria Jaci, muito especial já não mais entre nós, oito anos, parto domiciliar que virou normal hospitalar.

Partos que até hoje reverberam e me transformam.
Fora meus dois partos normais, doulei minha irmã a três anos atrás em seu parto domiciliar.
Absolutamente apaixonada pelo tema, pelo parto, pelo pós parto, pelo pós pós parto e assim por diante.

Formada em artes visuais, pedagogia Waldorf, massagem indiana para gestantes Garbhini Abhyanga, mãe ativa convicta (vulgo materna), e blogueira. (ando poetizando minha vida)

Meu blog, logo abaixo, é meu diário iniciado na gestação de Hari e minha maneira de digerir meu processo materno.

Decidi trilhar o caminho da doulagem por acreditar muito, muitíssimo, que o parto é o nascimento da mulher para sua própria vida e isso é uma mistura de dor com gozo. Que é necessário dar atenção a quem pari, a quem vem sendo parido e que a parteira e a doula e a obstetra são os bilheteiros dessa rodoviária de nascidos.

Quero muito tocar, poder segurar a mão feminina de quem tem o medo ou a coragem de trilhar esse caminho.
Quero poder dizer para quem quiser escutar que vá em frente, que vale à pena, que é só se abrir, que é a coisa mais importante para quem quer se transformar.

À disposição

7737 2922
www.fabiolladuarte.blogspot.com

Fernanda Nakamura
33 anos, médica acupunturista especialista em dor.
Mãe da Sofia de 2anos e 4 meses de PC eletivo por indicação da obstetra que achei que era minha amiga (de faculdade) em 2008. Isso foi tão traumático para mim, que 1 ano depois fui fazer curso de doula (para exorcizar isso de mim e orientar amigas e pacientes a não cair no conto do vigário) e qual não foi minha surpresa: no mesmo mês descobri que estava gravida de novo. Decidi que não viveria isto de novo, e já lacei Ana Cris, Cris e cia...mas por um problema de saúde (o mesmo que a primeira obstetra usou para fazer a cesária) não me permitiu o parto domiciliar, mas tudo bem, estava com uma equipe fantástica mesmo e foi um parto natural (após uma cesárea, exatamente dois anos depois) no São Luiz. Foi uma Euforia só, para mim que sou médica inclusive desmistificou tudo... Só confirmou o que sempre achei: que parto normal é tudo de bom!
Sou muito grata a todas elas por isso (Ana Cris, Cris, Andrea, Ana Paula, Naty - yoga)

Em relação ao meu trabalho acabo recebendo muito mais pacientes para resolver a questão da dor sejam elas gestantes, parturientes ou puérperas. Também acompanho partos como doula.
Poliklinik - 30644552 - Rua Lisboa, 316

Gama - 25077090 - Natingui, 380

Luciana Carvalho

Mãe, Professora de Yoga para mulheres, gestantes e mães com bebês, Educadora Perinatal, Doula (parto e pós-parto), Pedagoga e Psicoembrióloga em formação pelo Instituto Brasileiro de Ciências e Psicanálise.
Minha atuação com o universo materno, tanto na gestação quanto após o nascimento dos bebês, surgiu de uma necessidade de dar as mãos a estas mulheres e a estas famílias num dos momentos mais intensos e transformadores de suas vidas, na perspectiva de lhes oferecer conforto, aconchego e segurança, incentivando-as a encontrarem seus próprios caminhos e a colocarem em prática suas próprias escolhas. Ser doula no parto e no pós-parto é estar sempre com as mãos estendidas e os ouvidos e coração abertos.
maternidadeorganica.blogspot.com
(11) 8225-0459 e (11) 3875-7645



Maíra Duarte
Sou terapeuta ayurvédica há 5 anos e sempre gostei de atender gestantes. Depois de parir meu primeiro filho, resolvi direcionar meus atendimentos a esse amor que sinto pelas barrigudas e seus bebês.

Me formei no Gama como Doula e Educadora Perinatal e fiz especialização em cuidados com a gestante na Academia Internacional de Ayurveda, na Índia.
Tive meu segundo filho e ainda amamentando muito comecei a doular (ele visitava os partos para mamar e inspirar). Meu trabalho é direcionado a acompanhar a gestação terapeuticamente com os cuidados ayurvédicos, atender ao parto e ao pós-parto imediato.
No parto dou apoio físico e emocional para a gestante, baseado no trabalho terapêutico desenvolvido na gestação.Tenho dado também bastante atenção aos cuidados com o períneo ensinando a massagem perineal com o óleo apropriado para o fortalecimento da região.
Outro grande foco do meu trabalho é a presença do companheiro no acompanhamento da gestação e no trabalho de parto. Sempre marco uma consulta com o casal no final da gestação para ensinar o homem a fazer massagem na mulher. É uma massagem para ser feita nos pródromos e durante o TP se os dois quiserem, deixando o momento ser uma celebração gostosa, vivida a dois, nesse ritual em que o pai é uma peça fundamental.
Sinto que receber massagem durante a gravidez conecta a mãe e o bebê e permite que haja um tempo dedicado só para esse processo de vínculo. E as conversas, ao longo da gestação, ajudam a elaborar os medos, a tirar dúvidas e fazer as escolhas com consciência.
Atendo no Vida e Clara Luz, um espaço perto do metrô da Vila Madalena www.vidadeclaraluz.com.br 
Fone: 3872 6858. A secretária chega às 14h, mas pega os recados deixados no telefone.
Meu celular é 8415 8222 e quem precisar pode ligar ou me escrever: mairaduarte@gmail.com
Mariana Portella

Tenho 30 anos e sou mãe de duas crianças nascidas de parto natural e humanizado. O primeiro, Caetano, nasceu de parto hospitalar. A segunda, Manoela, nasceu em casa. Ambas as gestações duraram 42 semanas completas, o que me fez reafirmar muitas vezes (devido à pressão médica e social) o que é que eu queria para o nascimento dos meus filhos e quais eram os riscos verdadeiros que eu vivia. Depois de passar por isso pela primeira vez, nunca mais consegui ficar longe do universo das gestações, dos partos e nascimentos. Compreendi que o modelo obstétrico brasileiro deve ser transformado e acredito que a informação é a principal arma das mulheres que buscam por um tratamento digno.

Me formei doula pelo GAMA em 2008, onde aprendi que toda mulher é capaz de parir. Entendo o processo do parto e nascimento como uma oportunidade única, um rito de passagem importante, que traz em si a capacidade da cura, do auto conhecimento e do empoderamento feminino, além de representar o início dessa relação tão forte que é a da mãe com o seu bebê.

Minha atuação, como a de toda doula, é focada nas necessidades da mulher. Massagens, posições, respiração, apoio, cuidado e a monitoração (não clínica) da progressão do trabalho de parto são minhas atividades principais. Além disso, ajudar na elaboração de planos de parto, organizar o ambiente, orientar parentes, encher piscina, tirar fotos, cozinhar a canja de galinha, tudo o que for possível e necessário para garantir a livre expressão da postura ativa feminina e para que o parto seja uma experiência positiva e prazerosa para aquela dá à luz.

Atuo em Recife-PE e Região Metropolitana.
mariana.portella@gmail.com
81 3439.3904/9258.8598


Marcelly Ribeiro
Tenho 31 anos, sou educadora física e dou aula de hatha yoga há oito anos. Minha gestação e parto, em 2008, me mostraram um mundo novo e depois do meu parto domiciliar acompanhada com uma equipe maravilhosa (duas doulas, Cris Balzano e Nat Rea) percebi que toda mulher merece uma doula e fiz o curso no Gama. Desde 2009 dou aulas de yoga e atualmente sou professora do Gama e da Casa Moara, além das aulas particulares (na casa da pessoa). A doulagem começou em fevereiro de 2010.

Fiz o curso de formação em Parto Ativo (primeiro módulo) com a inglesa Janet Balaskas e foi maravilhoso. Acho que a doulagem acompanhada da preparação durante a gestação é uma combinação perfeita e o yoga pode ajudar muito nessa preparação. As aulas também servem para criar um vinculo importante entre gestante e doula. Sempre tento unir as aulas de yoga ao atendimento de doula. De qualquer maneira faço alguns encontros com o casal antes do trabalho de parto e uma ou duas visitas pós-parto.

Meu site: www.yoganagravidez.com.br
email: marcellyoga@gmail.com
meu cel: 9517-6947  


Maria Angela

28 anos, mãe da Laura Luz, do Luan e do Raul.
Meus dois primeiro filhos nasceram de Partos cesáreas por falta de informação materna, mas o meu  caçula, de 7 meses, nasceu em um lindo e realizador parto domiciliar na água.
Sou professora de educação física, trabalho como personal em condomínios e residências dando aulas de musculação, corrida/caminhada, alongamento, natação e Pilates para adultos, jovens, idosos e gestantes.
Sou doula desde jun/2009. Atuei por 6 meses como doula voluntária no Amparo Maternal. Amo demais poder ajudar mulheres neste momento tão especial que é achegada de um filho!

Meu diferencial: Tenho um pique danado para fazer muuuuita massagem durante o parto, costumo propor movimentações durante o trabalho de parto, caso a mulher assim se sinta bem.
Proponho alguns exercícios durante a gestação com a intenção de prepara-la para o trabalho de parto e parto. 
Ensino exercícios para o pós-parto também.
                                                                                         

Natalia Rea Monteiro

Eu sou "doula-quase obstetriz", cursando o 4o e último ano da graduação.
Acompanho os partos como doula, e também avalio a evolução do trabalho de parto, através do exame de toque. Avalio o bem estar do bebê através dos batimentos cardíacos em casa ou no hospital.
Tive minha filha Helena de parto normal e transformador, há 5 anos, quando infelizmente não conhecia a doula! Pouco depois conheci a Cris Balzano e com ela comecei a trabalhar como doula. Desde então já acompanhei cerca de 100 partos.
Sou professora de yoga para gestantes no GAMA, quintas às 20:30.
Minha primeira formação foi em artes visuais, com especialização em fotografia. Hoje as fotos que faço são dos partos, que eu adoro, claro, quando é de interesse do casal.
Já fiz alguns documentários sobre parto e amamentação, segue o link em 3 partes para o "Amamentação à luz da primeira hora", que para quem não conhece vale a pena pelo parto lindo no chuveiro da doula Cris Toledano: 

Fones:  82590754 e 27385234
Read rest of entry

segunda-feira, abril 18, 2011

Listas Materna Matrice


As listas de discussão Materna _sp e Matrice cresceram e muito.
Com elas cresceram também a diversidade de assuntos, os paralelos ao tema das listas tornaram-se OFF.
E foi tanto do OFF, tanto, que novas listas nasceram, todas de Maternas e Matrices.
Os assuntos, como sempre, deliciosos e tem para todos os gostos.
Encontre a(s) sua(s)!
Para acessar a página inicial de cada lista click no título.
 

Grupo de gestantes de São Paulo, Campinas e cidades vizinhas, mediado por Ana Cristina Duarte, Parteira (obstetriz) e Educadora Perinatal.
Públco alvo: gestantes ou mulheres planejando a gravidez para breve.
Objetivo: defender o parto natural, seguindo as recomendações da OMS para o parto e Evidências Científicas.


Lista de discussão sobre ALEITAMENTO MATERNO, fundamentalmente. Também falamos sobre pós-parto, alimentação e assuntos relacionados à primeira infância e à maternidade.


Grupo de mães e gestantes do ABCD paulista.

Finalmente um grupo virtual para ajudar na dieta e ainda com o nosso jeitinho, com a nossa cara!
Maternas, vamos nos ajudar a perder peso!!!

Materna Adolescência
Para conversar sobre nossos filhos pré-adolescentes e adolescentes

Astro Materna
Esta é uma lista para discutir a Astrologia como ferramenta para ajudar a identificar aptidões, inclinações e possíveis dificuldades de nossas amadas crias.

Um grupo filhote da materna_sp voltado para as maternas que são mães e pais ao mesmo tempo.

Somos um grupo de maternas que decidiu se unir para facilitar a troca de informações entre as mães e integrar os bebês/crianças que moram na região do Butantã.

Vamos trocar receitas?

Grupo de discussão para projeto da creche materna sp

Para troca de dicas e experiências relativas ao desafio de viver uma vida mais simples, sustentável e desenvolver em nossos filhos a consciência ambiental mais ampla.

Lista para discutir dicas de lavagens e cuidados com a fralda de pano.
Também para tirar duvidas de quem está começando a usar as fraldas reutilizáveis, falar dos tipos e possibilidades disponíveis no Brasil.
Grupo criado com o objetivo de marcar passeios e reuniões para levarmos nossos bebês para brincarem e passarem bons momentos juntos. De quebra, nos conhecemos, fazemos amizades e batemos um bom papo!

Grupo para discutir o método de higiene natural infantil/ método sem fralda/ comunicação da eliminação/ desfraldamento precoce ou qualquer outro nome que se queira dar à isto.

Para conversar sobre nossos filhos de até 10 anos

Essa lista de discussão reúne Pais e futuros Pais que moram exclusivamente em São Paulo, Campinas e cidades próximas.
O objetivo é trocar informações em torno do ato de ser "Pai Ativo".
Ativo no sentido de desejar assumir uma função no desenrolar da gravidez de sua companheira e na educação e aleitamento materno de seus filhos nascidos de forma humanizada, bem como, de fornecer uma visão masculina deste empreendimento da vida.

Este é um espaço para discutirmos e compartilharmos questões da nossa vida pessoal.

Grupo de gestantes e mães de Campinas e cidades vizinhas, mediado por Ana Paula Caldas, pediatra neonatologista.

Vamos dividir receitas, experiências e informações sobre saúde da gestante vegetariana e dos pequenos vegetarianinhos!

Maternas da ZOna Norte.

Lista de mães que fazem parte da Materna_SP, residentes da Zona Sul de SP, e tem por objetivo uma maior interação entre as mães e bebês/crianças desta região: marcarmos passeios, encontros e trocas de informações sobre eventos e facilidades na região.
Read rest of entry

quarta-feira, abril 13, 2011

Livro “Parto com Amor” – Sorteio

Este livro reúne histórias de mulheres para mulheres. Revela a trajetória percorrida por nove mães – entre elas a autora – para conquistar o parto desejado. Seus medos, fraquezas e dificuldades são expostos da mesma forma simples e sincera com que suas alegrias e vitórias são compartilhadas. O instante do nascimento, as horas que o antecederam e os primeiros momentos de vida do bebê são eternizados em fotos que transbordam emoção.

E uma leitora do Mamíferas poderá receber um exemplar. Vamos sortear um livro daqui uma semana.

Quem pode participar?
Todo mundo! Grávidas, mães de crianças de qualquer idade e tentantes, do Brasil inteiro. Quem já foi premiada em outras promoções também pode participar. Vale lembrar que para essa promoção, continua valendo a regra para duplicar ou triplicar a participação. Para quem não se lembra: quem seguir o @mamiferas no twitter concorre em dobro. Quem fizer um post no próprio blog falando do concurso, ou divulgar a promoção em seu perfil do Facebook (sempre colocando o link para este post) também concorre em dobro. Quem seguir no twitter E divulgar em blog ou Facebook concorre em triplo.

Como participar?Para participar, é só responder as questões abaixo:
1. seu nome completo;
2. sua cidade e estado;
3. seu email;
4. o nome e idade dos seus filhos, ou o tempo de gravidez e nome do bebê, se já estiver escolhido;
5. resposta à pergunta: Qual a cena de parto perfeita?;
6. segue o @mamiferas no twitter? se sim, qual o seu @?
7. divulgou essa promoção no seu blog ou perfil do Facebook? se sim, cole aqui o link da divulgação.
ATENÇÃO: as inscrições que não contiverem respostas completas para as perguntas de 1 a 5 serão automaticamente excluídas. Lembre-se: as vezes o site joga seu comentário para a lista de Spaw. Espere um dia antes de fazer uma nova inscrição.

Participe!
Clique aqui
Read rest of entry

domingo, abril 03, 2011

Mobilização online traz família de volta do Japão

 
 
Karina Toledo - O Estado de S.Paulo
 
"A mobilização de um grupo de mães internautas está ajudando a trazer de volta ao Brasil a blogueira Rosana Oshiro, que mora em Nagano, no Japão, desde 2008. Embora sua cidade não tenha sido muito afetada pelo terremoto, ela conta que decidiu voltar por causa do risco de contaminação radioativa. "Tenho filhos pequenos e não desejo que eles sofram com problemas de saúde imediatos ou futuros."

Mas Rosana não tinha como comprar passagens para ela, o marido e os cinco filhos. O grupo de mulheres organizou, então, uma campanha para arrecadar dinheiro. No início, Rosana estava cética. Teriam de conseguir R$ 15mil para uma pessoa que elas nunca viram pessoalmente.
Mas, cerca de 15 dias depois, as passagens estavam compradas e a data de embarque, agendada. "Também conseguiram doações de roupas, moveis e eletrodomésticos para nossa casa no Brasil. Chorei muito quando recebi a notícia. Tanta solidariedade e apoio é algo que não tem preço."

Toda nós acompanhamos a história da Rosana e toda a campanha para que ela e sua familia conseguisse voltar para o Brasil.
Foi um alinda jornada de solidariedade, mobilizaçã e doação.

Um lindo blog foi criado para centralizar e organizar a ação:
http://rosanadevolta.blogspot.com/

Uma super vakinha tb foi feita.
http://www.vakinha.com.br/Vaquinha.aspx?e=33468

Muitas de nós fez doações em dinheiro, pequenas e grande quantias, todas cheias de carinho.
Outras doaram seus serviçoes e mãos de obra.
Assim chegamos na quantia necessária e com ajuda do Universo a Rosana conseguiu todas as 7 passagens em um bom preço.

A divulgação foi maciça, todas as rdes sociais, e-mails, blogs pessoais.

Como diz o texto publicado no estadão on line, conseguimos também móveis, eletrodomésticos, roupas, brinquedos e um dinheirinho extra para a familia se estabelecer nesse novo começo.

Num mundo tão desacreditado devido a tanta violência, corrupção, propinas, onde a lei maior é dos "mais espertos" certamente é uma lição muito bonita.
Gerou encontros, novas ações, novos trabalhos, aumentou o vínculo do grupo e olha que a maioria não se conhece pessoalmente.
O resultado traz grande alegria a todas além de grande satisfação.

Agora estamos na expectativa da chegada da familia Oshiro e que sejam muito, mas muito bem vindos, que esse recomeço seja de muita prosperidade para todos!!!
Read rest of entry

sábado, março 19, 2011

José, a história que transformou

Nas últimas duas semanas acompanhamos, vivemos uma história intensa e emocionante.
José, filho de Camila e Lufe, irmão de Pedro veio ao mundo depois de uma linda gravidez.
Depois de nascer José precisou ser internado, ficou em UTI, piorou, melhorou, enfim, ficou longe da mãe, de sua família.
A questão é que o ocorrido chegou a centenas de mães e, claro, sensibilizou a todas.
Acompanhamos os acontecimentos, todas rezando para o melhor, ou seja, que José melhorasse o quanto antes e fosse para casa.
Que mãe, pai, irmão e outros familiares tivessem fé, amparo e que todos fossem fortes para  lidar e superar a situação.
Todas, então, nos unimos  em prece, em vontade e desejo.
E nos unimos mais ainda e mais.
Acompanhar a trajetória dessa família fez com que todas refletissem sobre a vida, os valores de vida, sobre tempo, entrega, relação.
Um recém-nascido lutando pela vida, procurando entender o que acontecia com ele depois de uma gestação tão maravilhosa.
Mãe e pai procurando fazer o seu melhor em doação plena e manter-se em equilíbrio o quanto fosse possível.
Amigos e desconhecidos, todos diante da situação fora de nosso controle, desejamos muito para que as coisas caminhassem como entendemos o que é melhor.
Mas o que é o melhor?
O que é o certo?
Quanto sofremos por querer controlar tudo, por desejar somente o caminho firme, liso e reto?
Criamos conceitos e padrões e quando a vida nos leva a lugares diferentes ficamos muito inseguros, com medo.
Falo por mim e pelo que senti de todo envolvimento nessa história, provavelmente esta experiência foi diferente para cada um.
José tinha seu caminho marcado, veio, trouxe sua lição e se foi, cumpriu a que veio.
Levou muita admiração, respeito e amor.
A mãe Camila mostrou muita lucidez e grandeza, conduziu e sustentou a tudo com maturidade, razão e sensibilidade, trouxe muitos ensinamentos.
Nós, na expectativa de melhoras, em reflexões constantes, olhando para nossos filhos de forma diferente, enxergando nossas historias de forma diferente.
Queríamos ajudar, confortar, ser útil e essa situação em que só a vida tem controle abaixamos nossas expectativas e ansiedades e também nos entregamos, ao Divino, a Natureza, ao Universo e entregamos toda nossa Fé, Vontade, Esperança e o que mais temos de melhor em nosso ser, nosso coração.
E quando José se foi, sentimentos se confundiram, impotência e confiança, tristeza e alegria, devoção, amor e ...e....contemplação, talvez seja essa a palavra, contemplação da Vida, do Sagrado, do Sábio, do Maior, aceitação pela pele, pelo sentimento.
A lição foi profunda, o efeito foi devastador, no melhor dos sentidos, descontruiu para reconstruir muito melhor, mais forte, maturo, centrado; A compreensão dela virá ao longo de nossas vidas.
A vida, aliás, continua, não sabemos bem como, mas continua, com passos mais lentos, talvez, mais pensados, enfim.
Só tenho a agradecer a familia e principalmente a Camila que é mulher como eu, mãe como eu que vivenciou e trouxe para nós sua intimidade nos ensinando tanto.
Entendo um pouco de seus sentimentos pelas semelhanças mas sua evolução é singular, mais do que de mulher é de Deusa.
Meus desejos sinceros de paz e harmonia.

Déborah Gérbera
Read rest of entry

terça-feira, março 08, 2011

Ser Mulher

Aqui entre nós, foi mau negócio, aquele de sair da costela de Adão; porque já começamos meio por baixo.
E olhe que tinha mais lógica sermos criadas primeiro, dado que em matéria de reprodução o macho é apenas um detalhe, mas enfim, agora não adianta mais.
Ele queria mesmo era criar o homem a sua imagem e semelhança. Nós éramos apenas um meio prático de produzir homens.
Ficamos com as crianças, a cozinha, o tanque, a cama. Somente coisinhas leves, apropriadas ao nosso frágil ser! Feitas sob medida para nos reter no seio do lar e evitar assim maiores danos ao mundo. Porque mulheres, vocês sabem, adoram uma encrenca. Decerto algum defeito de fabricação, manifestado preconceituosamente por Eva, claro, que foi logo cedendo a tentação da maçã, embora, gostasse muito mais de manga.
Não, sério: mulheres são constante ameaça. São Jerônimo, um padre muito cristão do século 4, já dizia que "a mulher é portal do demônio, o caminho da imoralidade, a picada da serpente, numa palavra: objeto perigosíssimo". E Tomás de Aquino, aquele santo que já no século 13 era tão importante para nossas ideias, afirmava que "a mulher foi criada para ser ajudante do homem, mas só na concepção...já que noutras questões o homem é mais bem assessorado por outros homens".
O que deve ser a mais pura verdade. Pois até a lei de Roma já dizia que em matéria de intelecto somos muitíssimo inferiores aos homens, equiparáveis apenas as crianças (não se ofendam, crianças.) E é por estas singelas e profundas razões que, tanto no Oriente quanto no Ocidente, desde a mais remota antiguidade, todos preferiam ter filhos homens.
Ele Inclusive.
E inclusive as mulheres, não só para agradar maridos como para evitar mais sofredoras no mundo. Em alguns lugares as recem nascidas eram sumariamente mortas, sabia? Até porque, se as deixassem viver, elas podiam durar muito. Dados estatísticos mostram que as mulheres vivem mais que homens, toleram melhor as dores e resistem mais as doenças. Não é a toa que, muito antigamente, virávamos bruxas, tínhamos pacto com o demo e até morríamos nas fogueiras da Inquisição...

É verdade que em alguns lugares ainda nos discriminam - as mães grávidas fazem uma ultra sonografia, se for menina abortam na hora; mas, deixando pra lá esses detalhes, a implicancia conosco praticamente acabou.
Verdade, gurias! Por exemplo: a gente vota, pode ser prefeita, governadora, gerente de banco! Jornalista, então, nem se fala!
Ser Mulher, hoje, é ter dinheiro e cartão de crédito, poder dar queixa em delegacia especializada, divorciar, dirigir automóvel, consumir, se estressar igualzinho a qualquer homem e eventualmente parir e criar filhos.
O tal pacto com o demo caiu no esquecimento. Com o advento do feminismo nós mulheres até acabamos ficando por cima em certas situações, inclusive na cama, o que é muito mais cômodo para todo mundo mas muita gente ainda não percebeu.

Claro que ainda existe a maior pressão para que toda mulher case e tenha filhos, além de continuar trabalhando exaustivamente fora de casa. Tanto assim que dão festa, casa, carro, dizem que se casamento fosse só bom não precisava embrulhar os noivos para presente, chamar padre e os padrinhos, botar anel no dedo e assinar papéis diante de juiz, com testemunhos...

Ainda assim avançamos muito. Nos 90 predominamos na universidades, e em 2000 todos nos querem para governar, administrar, chefiar. dizem que temos rigor, talento e sensibilidade, sabemos lidar melhor com as pessoas e somos mais justas, e assim nos dão 2/3 de todo o trabalho e só 5% de renda. Mas afinal, para quem saiu de uma costelinha, a coisa até que vai indo bem...

- Indo? E para onde senhoras?, interrompe aquele senhor desconfiado, temendo novos desastres caso não nos impeça a tempo.

Vejamos...Que tal a costa sul do Mar Negro, reeditar o império guerreiro das Amazonas?
Que mulheres! Não conviviam com homens, faziam tudo sozinhas. Amputavam o seio direito só para ficarem mais a vontade com o arco e a flexa. Quando queriam ter filhos elas "ficavam"  com seus vizinhos gargareus até engravidar, aí voltavam para casa. E se nasciam meninos, eram devolvidos aos pais...

Assustou, moço? Brincadeirinha. A coisa está apenas indo mesmo. Feito rio que corre para o mar, podendo desembocar numa praia linda, com sombra, água fresca, gente boa e muito lugar ao sol.
Deixem o mundo conosco e vocês homens vão gostar muito mais dele.

Do livro: Só para Mulheres
Sonia Hirsch
Read rest of entry

quarta-feira, fevereiro 23, 2011

Blogagem Coletiva - Pelo Empoderamento Feminino no parto


A partir de hoje, 23 de fevereiro até dia 28/02/2011 (data de minha DPP), convido todas as mulheres blogueiras que acreditam que é necessário Informar e Empoderar para o Parto Natural "de verdade" a participarem dessa Blogagem Coletiva do Empoderando Blog.

Para participar vamos seguir alguns critérios:
1- Colocar a imagem acima na postagem referida
2- Colocar um link direto para o blog Empoderando
3- Postar links de artigos de seu blog ou de outros blogs com temas ligados ao empoderamento e desmistifacação do parto. Por exemplo:  mitos do parto normal, empoderamento no parto, intervenções no parto normal hospitalar, falsos motivos alegados para cesarea, sobre a dor do parto, verdades e mentiras do parto domiciliar, etc.
4- Convidar 5 amigas blogueiras para participar dessa Blogagem Coletiva

Abaixo seguem meus links e conto com a participação de todos os seguidores e a divulgação dessa causa.

1- Porque a cesarea PARECE mais segura
2- Falsos motivos alegados para cesarea
3- Intervenções desnecessárias no parto normal hospitalar (mãe)
4- Intervenções desnecessárias no parto normal hospitalar (bebê)
5- Mitos e verdades sobre parto domiciliar
6- Parir com prazer é possível?
Read rest of entry
 

Recomendamos

  • ads
  • ads
  • ads
  • ads
  • ads
  • ads
  • ads
  • ads
  • ads
  • ads
  • ads
  • ads

Mães Empreendedoras

Ao lado estão os links que sites de mães que se tornaram empreendedoras em função da descoberta da maternidade.
Se você tem um site que oferece produtos e serviços, entre em contato conosco que teremos prazer em divulgar aqui.
Escreva para diretoriomaterna@gmail.com.

Diretório de Blogs Materna Copyright © 2009 Shopping Bag is Designed by Ipietoon Sponsored by Online Business Journal